Retrospectiva 2020: Outubro inicia com três assassinatos no Arroio

O primeiro dia do mês de outubro foi marcado por três execuções em Arroio do Silva. Além dos três homicídios do Arroio, um homem foi morto em Araranguá e uma mulher, grávida, em Sombrio 

Região

O primeiro dia do mês de outubro foi marcado por três execuções em Balneário Arroio do Silva. Na Vila Dona Isabel, Fabiano Moraes da Silva, de 36 anos, chegava em casa do mercado quando dois homens chegaram e efetuaram diversos disparos contra ele. Os dois outros crimes aconteceram na rua Santo Antônio da Patrulha, na Praia da Meta. Léo Adriano Francisco Moraes, de 38 anos, mais conhecido como “Leo Favela” e Valdemir Borges, de 39 anos, chegaram em casa e dois homens invadiram o local atirando contra eles.

Uma embarcação encalhou na entrada da barra em Passo de Torres e um pescador acabou caindo, morrendo afogado. O corpo foi encontrado por populares na faixa de areia.

Em Araranguá, Zamir José Soares de 68 anos, foi encontrado morto em casa, três dias depois de ser assassinado. Parentes o procuraram em casa e encontraram o corpo ensanguentado e a casa toda revirada.

Samara Oliveira Mello foi mais uma vítima de feminicídio no extremo-sul catarinense. Ela foi morta pelo ex-companheiro quando caminhava na rua, no bairro São Luiz de Sombrio. Com 31 anos, Samara tinha três filhas e estava grávida. A covardia gerou tanta indignação que um ato contra a violência foi realizado no mesmo local do crime, uma semana depois da tragédia.

Foi uma novela longa, que se estendeu por mais de três anos, até que terminou com final feliz. Este ano foi inaugurada a reforma da escola Maria Garcia Pessi, localizada no bairro Cidade Alta em Araranguá.

A primeira prisão realizada na região com base na nova lei de maus tratos à animais ocorreu em Sombrio. A reportagem exclusiva do Correio do Sul e Portal C1 teve ampla repercussão e apoio dos leitores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui