Produtividade do arroz catarinense supera expectativas

Região

A Epagri divulgou boas notícias para o setor da rizicultura catarinense. Com preços, produtividade e exportações em alta, a cadeia produtiva do arroz foi impulsionado pelo aumento da demanda. Contrariando as expectativas dos analistas, os preços seguem estáveis com as últimas colheitas realizadas até o início de junho. As estimativas eram de queda nos valores diante da maior oferta do produto no mercado.

Segundo Gláucia de Almeida Padrão, analista do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da Epagri (Epagri/Cepa), os produtores catarinenses de arroz receberam em média R$ 55,96 pela saca de 60 quilos na primeira quinzena de junho. No mesmo período do ano passado, o valor estava em R$ 45,84, já corrigida a inflação do período. A alta é inédita para os produtores catarinenses de arroz. “Em termos absolutos tivemos uma alta de 22%”, ressalta a analista.

Gláucia explica que o aumento vem se configurando desde dezembro, quando a estiagem em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul apontava para uma safra ruim do grão. Tendo a estimativa de baixa oferta do produto como base, os preços se mantiveram e vieram crescendo.

Por causa da pandemia, houve uma corrida dos consumidores ao mercado no início de março, o que fez a demanda pelo cereal crescer e, consequentemente, os preços do arroz seguirem em tendência de alta, que se mantém até agora.

Ainda segundo análise da Epagri, a produtividade do grão surpreendeu apesar da estiagem, calor excessivo e ataque de pragas. Na microrregião de Araranguá, a produtividade superou a obtida na safra 2018/19 em 10,63%.

Para Gláucia, um dos motivos para o bom resultado é o investimento dos agricultores no acesso a sementes de qualidade e cultivares de alto potencial produtivo.

Santa Catarina é o segundo maior produtor de arroz do país, atrás do Rio Grande do Sul, e é um dos líderes na produtividade de arroz no Brasil.

A área plantada do grão na safra 2019/20 foi de 149.592 hectares, número já corrigido com base no mapeamento por imagens de satélite coordenado pelo Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Epagri/Ciram).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui