Há três anos, o Projetar: Toda Forma de Cinema torna a sétima arte mais acessível, com sessões especiais para pessoas com deficiência visual. Durante esse tempo, a iniciativa já passou por quatro cidades brasileiras, levando filmes com audiodescrição a mais de 4 mil convidados.

O projeto foi desenvolvido pelo Telecine, em parceria com ONGs e outras instituições, como a agência Oito e as fundações Dorina Nowill e Benjamin Constant. A empresa busca tornar o cinema mais acessível com sessões mensais que trazem sucessos de bilheteria adaptados. Em agosto deste ano, teve até mesmo uma pré-estreia exclusiva com audiodescrição do filme “Socorro, Virei uma Garota!” para cerca de 200 pessoas.

A audiodescrição não é a única aposta nesse sentido. Para que a acessibilidade esteja em todos os momentos da projeção, uma equipe fica disponível para auxiliar os convidados na chegada ao cinema e indicar seus assentos, além de entregar pipoca e refrigerante para todos.

“Existe também um cuidado com a iluminação da sala e a escolha dos filmes, uma vez que cenas com muitas luzes podem incomodar pessoas que têm baixa visão” lembra Daniela Evelyn, Diretora do Projetar no Telecine.

O objetivo do projeto não é incluir somente pessoas com deficiência visual, mas tornar o cinema mais acessível a todos. Graças a isso, as sessões também são abertas a pessoas em situação de refúgio e jovens em vulnerabilidade social.

Mais de 4 mil convidados já participaram das sessões promovidas pelo Projetar e este número tem tudo para aumentar em 2020. A marca afirma que irá expandir a quantidade de participantes da iniciativa no próximo ano, com novos formatos de exibições especiais para públicos que ainda têm pouco acesso ao cinema.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui