Araranguá

Sentou no banco dos réus nesta terça-feira, dia 8, Volnei da Rocha, de 47 anos. Volnei foi denunciado pelo MP (Ministério Público) pelo crime de homicídio contra Pedro Paulo Costa, ocorrido na madrugada do dia 12 de maio de 2008.

Segundo o MP, o crime ocorreu em uma lanchonete, localizada no bairro Mato Alto, em Araranguá, e Volnei efetuou seis disparos de arma de fogo contra a vítima, que não resistiu e foi a óbito. A arma utilizada por Volnei era um revólver, calibre 38, que o autor do crime carregava com ele.

Ainda, de acordo com o MP, Volnei agiu por motivo fútil, ou seja, matou Pedro Paulo, por causa de um desentendimento, devido ao desaparecimento de um capacete de sua motocicleta, sendo que atribuía o desaparecimento a Pedro Paulo.

Em sua denúncia, o MP pediu que Volnei fosse condenado pelo crime de homicídio, agravado pelo motivo fútil.

A defesa requereu para retirar a qualificadora de motivo fútil e reconhecer uma circunstância de diminuição da pena, pela violenta emoção. O pedido da defesa para afastar a qualificadora foi negado, bem como o da diminuição de pena.

O réu foi condenado há 12 anos de prisão, no regime inicial fechado, no entanto foi concedido a ele o direito de recorrer em liberdade.

Atuaram na sessão do Júri, o advogado criminalista Gian Goetten Setter, como defensor do réu; na acusação, o promotor de Justiça Gabriel Ricardo Zanon Meyer, representante do Ministério Público; e o Júri foi presidido pela juíza de Direito, doutora Leticia Pavei Cachoeira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui