MDB já não é o que era em nível regional

MDB vem perdendo representatividade por falta de organização regionalizada

Rolando Christian Coelho, 29/07/2020

Na eleição municipal deste ano, MDB tem deixado a desejar, no que diz respeito ao lançamento de candidaturas a prefeito em nossa região. A sigla sempre se caracterizou pela grande quantidade de candidatos ao comando do executivo lançados aqui no Extremo Sul. Para 2020, no entanto, das 15 possibilidades existentes, por ora há certeza de candidaturas a prefeito em apenas oito municípios.

Atualmente, o partido comanda as prefeituras de Sombrio, Turvo, Jacinto Machado, São João do Sul e Passo de Torres. Em todos eles, novamente o MDB terá candidato a prefeito. Também está confirmada a candidatura de emedebistas ao cargo de chefe do executivo em Araranguá, Timbé do Sul e Ermo. No entanto, afora estas situações, tudo o mais é uma incógnita.

Em Balneário Arroio do Silva, por exemplo, o MDB já anunciou que irá apoiar o projeto majoritário do ex-prefeito Evandro Scaini (PSL), e, por ora, não tem certeza, sequer, se lançará candidato a vice. Em Maracajá a sigla cogita concorrer como vice de Aníbal Brambilla (PSD). Em Meleiro o partido ainda não tem destino certo. Parte da legenda quer se aliar ao prefeito Eder Matos (PSB), parte quer um projeto autoral, e outro grupo flerta aqui e acolá com Progressistas, PSDB, e por ai afora. Em Morro Grande as apostas são as de que o ex-prefeito Ênio Zuchinalli dispute mais uma eleição pela sigla, mas ele próprio ainda não se decidiu quanto a isto. Em Balneário Gaivota, o MDB encaminha decisão para ser candidato a vice do PSD. Em Santa Rosa do Sul, há uma franca convergência para que o partido seja vice do PSDB, mas há resistências internas, que buscam construir uma candidatura na cabeça de chapa. Esta segunda opção, no entanto, é voz cada vez mais solitária. Já em Praia Grande, parte do partido quer candidatura própria, mas outra parte aceita compor como vice do Progressistas.

A bem da verdade, este cenário não combina em nada com a força que o partido já teve em nossa região. Coincidência ou não, a fragilização das bases do MDB começou a aparecer depois que o deputado estadual Manoel Mota (MDB) passou a perder sua liderança regional. Isto se deu porque um grande contingente de emedebistas do Extremo Sul se aliou a políticos do MDB da região de Criciúma. Na prática, a partir de então, a tal mobilização regional começou a se esvair pelo ralo. 

Mesmo candidato, Anísio é citado como vice do PP

São grandes os rumores no meio político de Araranguá dando conta de que a pré-candidatura do ex-vereador Anísio Prêmoli (PDT), ao comando da prefeitura, é apenas um balão de ensaio. Por trás dela, estaria a real intenção de uma composição como vice do Progressistas, que caminha cada vez mais a passos largos para lançar o presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Daniel Viriato Afonso, como candidato a prefeito. O comando do PDT araranguaense, no entanto, afirma que Anísio será candidato, e que não existe plano “b”. Diante da afirmação, surgem especulações de que a real intenção, então, seria a de dividir o MDB araranguaense, já que Anísio disputou a prefeitura em 2016 pela legenda. Uma nova candidatura sua, agora pelo PDT, supostamente tiraria votos de Césa Cesa (MDB), fortalecendo o Progressistas.

PP e PSD de Timbé do Sul buscam entendimento

Conversações entre o Progressistas e o PSD de Timbé do Sul têm avançado. Atualmente a prefeitura é comanda pela dobradinha PP/PSDB, mas os pessedistas mantém a expectativa de compor como vice do prefeito Beto Biava (PP) no pleito deste ano. Líderes do PSD estão confiantes de que o ex-secretário municipal de Administração e Finanças, Marlon Panatta (PSD), acabará sendo indicado como candidato a vice de Biava. Para isto, o PSDB teria que ceder a vaga. Em princípio, até o final desta semana a situação deverá estar decidida. A operação política para a mudança precisa ser cirúrgica, sob pena de que o PSDB vá para a oposição e apoie o MDB.

Cúpula do MDB de Santa Rosa quer aliança com PSDB

Presidente do MDB de Santa Rosa do Sul, Pedro Dávila da Cunha, tem defendido abertamente que seu partido indique o candidato a vice do PSDB. Os tucanos já lançaram a candidatura a prefeito do ex-secretário municipal Almides da Rosa. De acordo com o presidente emedebista, seu partido não tem condições de conquistar a prefeitura sem uma aliança. “Melhor ser vice, do que não ser nada, que é o que temos sido nos últimos dois mandatos”, comenta Pedro. Tanto em 2012, quanto em 2016, o MDB perdeu a eleição municipal para o PSD, do prefeito Nelson Cardoso de Oliveira, que se aliou ao Progressistas, do vice-prefeito Nelmo Emerim. O PSDB, por sua vez, rompeu com a atual gestão municipal e o presidente do MDB vê neste apoio aos tucanos a possibilidade de seu partido voltar para o executivo, mesmo que na condição de vice.

Covid-19 na região é caso sério, e precisa de atenção

Pandemia de covid-19 em nossa região de fato é séria. Desde o mês de abril tive notícias de pessoas próximas a mim com a virose. Um aqui, outro ali, e a vida ia seguindo. Nos últimos trinta dias, no entanto, a quantidade de pessoas conhecidas, ou de minhas relações pessoais contaminadas com a covid, tem crescido de forma assustadora. Na mesma proporção, cresceu aqueles casos de amigos dos amigos que também contraíram a virose. Não à toa o Governo do Estado destinou ontem mais dez leitos de UTI para o Hospital Regional de Araranguá. Situação aqui no Extremo Sul é séria e tende a se agravar. Infelizmente, não vamos parar nos 21 óbitos registrados até agora.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui