Menino com doença grave precisa de ajuda para cirurgia

Quem quiser e puder ajudar pode contatar a família do garoto pelo telefone 48 9 9923-8014 ou acessar a página no Facebook chamada Amigos do João

Uma família de Araranguá está enfrentando uma grande batalha para melhorar a qualidade de vida de um menino de 9 anos, portador de paralisia cerebral espática

Araranguá

A família de um menino, morador de Araranguá, está enfrentando uma grande batalha para conseguir melhorar a qualidade de vida dele. Nascido prematuro, o garoto ficou um bom tempo na incubadora e saiu do hospital como se estivesse saudável. Mas quando ele chegou aos três anos sem conseguir caminhar, a família foi informada de que a vida dele seria de luta. “Fizeram vários exames e descobrimos o que ele tinha. Lutamos por um tratamento para a paralisia dele, porque essa falta de oxigenação afetou a parte do cérebro responsável pela coordenação, onde prejudicou muito. Isso está atingindo muito ele, que está com uma escoliose precoce”, conta Dayana Nascimento Rodrigues, mãe da criança.

O menino tem uma doença chamada paralisia cerebral espática, causada devido ao nascimento prematuro, e que é caracterizada por uma rigidez muscular que dificulta a movimentação. A rigidez seria causada por uma lesão no sistema piramidal.

Para evitar que a situação se agrave, ele precisa de uma intervenção urgente, associada a um tratamento. Porém, com a pandemia, o SUS não está encaminhando o processo necessário para que o garoto possa ser atendido. “Procurei a Apae de Araranguá, mas não podem atender ele porque não tem qualquer problema mental. Aos 9 anos ele não pode correr, nunca andou de bicicleta, sente vontade de brincar, chora de falta de ar, cai muito, e a gente não pode fazer nada”, lamenta a mãe, desesperada.

Para custear o tratamento, a família está pedindo ajuda. “Serão várias cirurgias no decorrer dos anos, não será só uma, e nós precisamos de ajuda. E essa primeira cirurgia precisa ser urgente, porque já está afetando a coluna dele e a respiração dele”, conta a mãe.

O garoto, inocente, só quer poder brincar com o irmão mais novo, mas não consegue nem aproveitar a própria infância. “Não consigo respirar e dói muito a minha coluna”, diz.

A família criou uma página no Facebook chamada Amigos do João, onde está exposta a conta de Dayana para receber doações, e está organizando uma vaquinha virtual para angariar fundos, e poder dar ao menino uma vida com mais alegria e menos dores. “É tudo o que eu quero, que ele seja uma criança normal”, completa Dayana.

A família pode ser contatada através do telefone 48 9 9923-8014. A vaquinha online está disponível no link https://www.vakinha.com.br/vaquinha/amigos-do-joao-dayana-nascimento-rodrigues.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui